sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Comecei com aulas de aquarela e...

Nenhum comentário
Alou! Há quanto tempo não venho aqui? Não, não vou nem olhar a última data da postagem para contar os dias. uhahuahua

Enfim, nesse mês eu, enfim, criei vergonha na cara e comecei um curso se aquarela.
Se você acompanhou o blog no passado, se lembrará de alguns horrores que pintei, como:

E esse daqui foi numa aula de aquarela do FIQ ein!?
Depois dessas primeiras tentativas (usando tintas da Pentel), eu fiquei ultra frustrada com a aquarela e decidi que ela, definitivamente, não servia para mim.

De 2015 em diante eu não voltei a tocar mais nessas tintas endiabradas, mas eis que esse ano o Black Ink daqui de BH ofertou o curso em horário diurno (amém!) e eu pude me inscrever.

Inscrevi desesperançada, admito. A aquarela é um pequeno nêmesis que me persegue em consecutivas falhas e volta e meia me lança na cara a frustração de não dominá-la.

Enfim, bla blá blá, fiz minha inscrição e as aulas começaram.
Esperei o primeiro dia para descobrir mais sobre a lista de material, crente que eu já tinha tudo o que pudesse ser necessário (estojo talens, uns pinceis tigre e o bloco de papel Montval que comprei em 2015 pro curso de aquarela que fiz no FIQ).

Mas nãaaaao, nada disso servia (mentira, eu ainda uso o Montval). O professor (que é um doce de pessoa, obrigada) explicou as razões pra gente não depender desses materiais mais baratos (sim, os que eu tinha) e usar coisas de qualidade mesmo para o treino, para sentirmos a diferença.

E lá fui eu comprar os materiais e ver todo o meu dinheiro escorrer pelo bolso furado da calça.
 

A lista básica era:
- Tintas em 4 quatro cores (recomendação de Van Gogh e Cotman):
  • Terra Siena Queimada (marrom);
  • Vermelho;
  • Amarelo;
  • Azul Prussia.
- Papel Fabriano A2 (não vale o acetinado, justamente o que comprei na leseira);
- Pincéis tam. 4 , 6 e 10 (Comprei sintético because of $$ reasos, mas a indicação era pra pelo de marta);
- Um godê fechado (aproveitei o que eu já tinha);
- Fita crepe pra segurar o papel na mesa
- etc;

Aula vai, aula vem, vou mostrar para você o meu progresso:

Aula 1 

Aula 2

Aula 3

 Aula 4 (ontem)


Pois é, ainda to longe de fazer algo descoladão, mas, comparado com aqueles dois que postei lá em cima, já dá para ver uma diferença boa, não é?

NÃO

Infelizmente eu continuo bem frustrada com a pintura. Mas ontem, depois de muito refletir no ônibus (naquelas cenas em que o busão vai andando pela cidade à noite e você encara a paisagem do lado de fora com o rosto gélido), entendi que meu maior problema na aquarela é a meu apego à necessidade de controle.

Todos os outros meios de ilustração obedecem à minha vontade com precisão.
Se pego um lápis vermelho e risco, sai um risco vermelho.
Mas, se eu pego o pincel de aquarela vermelho e risco, sai tudo nesse mundo, menos o bendito risco aquarelado.



E não tem nenhum problema nisso, mas eu ainda não consigo absorver e incorporar toda essa liberdade na hora de pintar.

Enfim, posso terminar o curso sem saber fazer os trem direito, mas acho que, pelo menos, é uma pequena oportunidade para treinar minha paciência e ansiedade. uhahauhauh

Vamos vendo.

domingo, 12 de março de 2017

Meeting - Casa Fiat de Cultura: Prazer e Morte + Ritratti di Commercianti

3 comentários
Alou! Ultimamente tenho postado minhas atualizações sobre Lolita apenas no Vanilladrops.tumblr.com, mas esse decidi fazer por aqui também! :)

Então, hoje fomos à Casa Fiat de Cultura aqui de BH para uma visita guiada nas exposições em cartaz: "Prazer e Morte: a escultura atemporal de Marco Aurélio R. Guimarães" e "Ritratti di Commercianti", do artista visual Daniel Pinho.

Versão verão de Lolita ahuhuahua
 Eu e Caio chegamos lá mais cedo, por volta das 15:30, e aproveitamos para fazer uma visitinha ao café. Os preços (que consigo lembrar) eram de R$7.00 para o suco natural (peguei um de abacaxi com hortelã, muito gostosinho!), Pão de queijo (unidade) R$4.00, 8 mini pães de queijo a R$8.00 (eram de tamanho normal desses de forno, na verdade...) e uma fatia de bolo a R$7.00.


Bem, assim que deu 16:15 seguimos para a visita monitorada guiada pela Clarita. Ela foi um doce de pessoa conosco e bastante disposta a explicar tudo na Casa e a responder nossas perguntas! Ela também topou esperar um pouquinho para começarmos a visita, já que muita gente acabou não indo e ficamos na dúvida se acabariam aparecendo lá na hora! :(

Enfim! A primeira exposição foi a Prazer e Morte de Marco Aurélio Guimarães. Eram duas esculturas em Mármore Carrara (o material realmente importado da Itália...!) maravilhosas, com detalhes muito incríveis como textura, pressão e expressão. 


O autor das obras (que se nega a ser chamado de artista) começou a trabalhar com esse tipo de arte com 70 anos! Veja só! E, de uma obra para outra levou um timespan de 1 ano e meio. Dá pra ver a super evolução dele de uma peça pra outra, sério...


Nós ganhamos esses... "L"s negros muito legais, para observarmos detalhes nas obras. Nunca tinha parado pra pensar sobre o uso deles na concentração em detalhes das peças, e realmente faz toda a diferença! (as fotos também ficaram maravilhousas com esse trenzinho).



 Depois dessa apresentação, fomos conferir o painel do Portinari que fica em exposição na Casa e conversamos um pouco sobre urbanidade, ocupação da cidade, fauna de BH etc., Haha!


Então seguimos para a exposição de fotografias de comerciantes italianos. O trabalho é muito legal e o espaço é cedido gratuitamente pela Casa para artistas em início de carreira. Achei maravilhoso isso!


As fotos eram impecáveis, de verdade. (Mas confesso que não senti saudades da Itália, uahuahahu!)



Depois da exposição tiramos um tempinho para conversar, tirar umas fotos na escada maravilhosa do lugar. Infelizmente o café já havia fechado (eu queria muito ter comprado um pacote dos cookies que estavam lá!) e não deu tempo de juntar pra comer depois.


Enfim, foi um dia bem agradável, aprendi MUITO na exposição, deu pra conversar bastante com as meninas e aproveitar bem o espaço da casa. A experiência foi bem boa, e espero poder repeti-la logo <3

Rundown:
Headpiece: SweetDreamer饰品分店  
Blouse: Bodyline
JSK: selfmade (with pockets! )
Bag: Primark
Sapatos: Moleca
Fotos (em que eu apareço): Caio 

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Tutorial: Franja falsa

Nenhum comentário
Alou! Então, ultimamente eu tenho tentado incorporar meu cabelo mesmo em alguns coords, e para isso decidi costurar uma franja falsa para ajudar nesse processo de transição.

No post de hoje tentarei ensinar como fiz uma franja falsa usando uma extensão comprada em loja de importado chinês.

1. Compre uma extensão com a cor aproximada à do seu cabelo


Infelizmente, pra mim é super dificil encontrar alguma franja pronta já na cor do meu cabelo. Comprei o mais próximo disso (com alguns fios loiros) e tentei extrair o cabelo castanho apenas.


2. Desfaça a costura


Essas extensões geralmenet sao feitas de tiras de cabelo costuradas umas sobre as outras. Para isso, descosture as linhas com cuidado até que as tiras se soltem como na imagem.

3. Recosture


Agora pegue a tira de cabelo e recosture-as formando camadas. mas, antes disso, lembre-se de medir a largura da franja que você vai querer fazer. A minha tem exatos 7.5cm.

4. Costure alguns clipes sob o cabelo


Assim que você terminar de costurar as tiras de cabelo (a minha foi feita com 4 camadas de cabelo, lembre-se de costurar algum tipo de clipe ou grampo para que a franja possa ser presa no seu cabelo. Para um acabamento mais bonito, considere costurar uma outra camada de cabelo ao reverso, tampando a costura deixada. (essa parte preta com linha na imagem).

5. Vista e corte!



Agora é só posicionar na sua cabeça e cortar na altura que precisa.

Nas fotos talvez não dê para ver, mas a franja acabou ficando um pouco mais escura que meu cabelo mesmo, aí quando está solto fica bem estranho... Orz Acabarei tendo de fazer outra...

Enfim, as minhas foram feitas assim! :D
Espero que seja útil e, caso tenha alguma dúvida, é só comentar!

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Foz do Iguaçu (dia 1) - Saída de BH e chegada à cidade

2 comentários
RECAP 
xxxxxxx
Alou! Então, o blog estava parado desde o curso do FIQ porque ano passado eu aproveitei o segundo semestre pra botar minha vida nos eixos, hihi.

Troquei de emprego, terminei e comecei uns negócios, arranjei meus investimentos, reorganizei meus planos de vida, publiquei quadrinhos (do curso!), consegui novos clientes, optei por uma nova graduação e decidi investir mais na minha qualidade de vida.

Muito do que aconteceu em termos de Lolitaria, você pode conferir aqui: http://vanilladrops.tumblr.com/
O resto está perdido na minha mente e no meu diário bagunçado.

Como começo de ano é sempre um bom momento para reorganizar as coisas da vida, comecei novos cursos e estou atualizando meu portfólio: http://laurafolio.zip.net/ (devo terminar até março...!) 
xxxxxxx

E... agora em janeiro viajei com minha família para Foz do Iguaçu \o/ E será sobre isso que falarei agora, no esquema do que fiz para a viagem para a Inglaterra (só que esse eu pretendo terminar).

Então, nossa viagem para Foz foi entre os dias 21 e 24 de janeiro. Ou seja, verãozão.
Caso você ainda não saiba, meus esquemas são todos $lowcost$, rere 8)
 

Saímos pela Azul, com passagens de aproximadamente 260 reais ida (classe econômica). Uma alegria da Azul é que podemos pegar quanta comida quisermos no avião (HAHAHA) e daí é claro que fizemos a festa nos preparamos bem para qualquer imprevisto.


 A viagem foi tranquila. Achei que eu fosse enjoar, mas acho que já superei isso (apesar de ainda ter bastante tontura depois da viagem...). Descemos no Aeroporto internacional de Foz e de lá pegamos um ônibus (n120) que nos levava para o terminal rodoviário.


Agora, algumas coisas bem importantes sobre a cidade:
  • Nao tem uber, mas o transporte público atendeu a todas as nossas necessidades.
  • O ônibus custa R$3,90 a passagem, mas na rodoviária há o sistema de integração, daí não precisa pagar o próximo ônibus.
  • Não tem Google Maps funcional para transporte público. Para isso, usamos o app Moovit, que resolveu todos os nossos problemas com bastante precisão. 
  • Os ônibus são bem caquéticos.
  • As pessoas são bem gentis na rua na hora de dar informação.
  • É quente. MUITO QUENTE.
Da rodoviária seguimos a pé pela avenida ao lado de um campo militar, até que chegamos à Pousada Quati, onde ficaríamos pelos próximos dias.

Esse quati na porta é bem bregão, mas ajuda a não perder o lugar de vista...

Enfim, o pessoal da recepção foi bem legal conosco e nos encaminhou ao quarto 6 (quádruplo) que fica na parte inferior da pousada.

Esse quarto foi uma ótima surpresa, já que fechamos em um valor bem abaixo do normal (650 para 4 dias e 4 pessoas - promoção no Booking.com) e era bem maior do que imaginávamos. Tinha 4 camas (uma King Size), banheiro, cozinha, varanda e área externa! Dava pra lavar nossas roupas, fazer nossa comida e ainda ficar do lado de fora tranquilona \o/

Também tinha ar condicionado e geladeira na parte interna. uhul \o\

Os pontos negativos eram que, quando chegamos, tinha uma barata na área da cozinha, o chuveirinho do vaso estava quebrado, a maçaneta da porta não existia e a geladeira jamais havia visto um descongelamento antes e vazava bastante água.

Depois de chegarmos, deixarmos nossas coisas, banhar e descansar um tanto da viagem, aproveitamos para dar uma volta na vizinhança para saber qualé que era daquela região e passar no supermercado para garantir nosso jantar.


Outra coisa ótima da pousada é a localização. Fica a 10min a pé da rodoviária, o lugar parecia bem seguro, tinha alguns pontos de ônibus bem do outro lado da rua e era ao lado do Shopping JL, que tem o supermercado Muffato na parte inferior. Ou seja, compras fáceis!

Compramos o necessário para fazer uma janta reforçada e coisas para preparar lanches para o passeio do dia seguinte, quando iríamos às cataratas do lado Brasileiro e ao parque das aves.

E daí, foi esse o post para o primeiro dia de viagem em Foz. A cidade tem um ar bastante rural, é bem arborizada (na área em que ficamos e circulamos) e pareceu bem segura mesmo na proximidade da rodovia. Não lembro de ter visto policiais, porém.

Ao longo da semana vou postando o restante e cobrindo o resto do passeio :) Até lá!