domingo, 26 de junho de 2016

FIQ Jovem 2016 - Aula 3 (gêneros e quadrinhos)

Nenhum comentário

 

Alou, cá estou eu com mais sobre as aulas que estou tendo do FIQ Jovem esse ano.

Semana passada recebemos um dever de casa de separar quadrinhos e premissas e ilustrar cada um deles (cinco) de modo a mostrar um tanto sobre o estilo visual pretendido para cada um.

Vou postar os que levei pra aula aqui e depois explico sobre o conteúdo do dia e sobre as dicas que recebi (e o que estou fazendo para levá-las a cabo). Aproveito para upar os sketches e comentar sobre o processo.

Premissa 1

Versão final
Para esse quadrinho eu queria uma coisa bem explosiva, com o perdão do trocadilho. Queria sair da minha zona de conforto das cores (pastel) e tentar algo mais vibrante e chamativo. Como você pode ver, eu não consegui me livrar, com sucesso, dos tons pastéis, e fiquei bem longe da estética POP que eu tinha em mente no início.

Nesse eu fiz o sketch já no Paint Tool Sai, arrumei o traço em uma camada superior usando o brush básico e colori também usando do brush, sem textura nem nada.

Achei o resultado 1 muito lavado, e daí tentei  engordar um pouco a personagem e fazer algo diferente do que faço nos meus desenhos (mas um pouco diferente, já que fiquei com medo de sair tanto do que eu faço hauhuahua). Fiz um traçado extra ao longo de algumas linhas, na vã tentativa de "sujar" o traço.

Infelizmente minha obsessão com linhas limpas me fez não ousar tanto nessa alternativa, mas já foi algo que eu consegui experimentar, de levinho, hahahaha.

Premissa 2






Nessa segunda versão eu optei por algo vetorizado. Quis desmanchar as linhas e escolher duas paletas para os personagens, que seriam as únicas usadas ao longo de todo o quadrinho. A ideia era deixar tudo do diabo vermelho, e tudo da menina no creme pastel.

A textura por cima foi para deixar o ambiente mais muerto e suprir minha defasagem em fazer backgrounds, haha!

Premissa 3





Esse foi o que achei mais legal fazer, mas que achei o mais feio de todos huahuahau!

Pastei muito para conseguir decidir as cores, já que nada combinava com o amarelo do cabelo e a pele mais ou menos amarelada. Tentei vermelho, roxo, azul, verde... mas nada ficava bom na cauda dele. Até que saquei o verde-água sem querer e ficou assim mesmo.

Mas daí na hora de fazer o cenário eu me derreti em preguiça e parei no meio do caminho.


De todos os personagens, esse e o Diabo são meus favoritos, mas não consegui ficar satisfeita com nenhum dos dois. Queria um diabo mais bishounen, com umas caras de bishounen de BeruBara, mas ainda ta meio longe do que consigo fazer. Vamos vendo.

(Refiz o sereio à mão e gostei bem mais)

Premissa 4



 



Eu queria pintar para essa versão. Dá para ver ali no meio a falha tentativa, mas acabou que quando chegou na cauda eu desisti e daí colori tudo normal mesmo, com duas sombras, sem pintar. Também foi traçada com pressa por cima do feito à mão.

Pro fundo também fiquei sem ideia, e aí peguei uma imagem de VN e coloquei ruído (tem ruído na personagem também) pra ficar meio recorte de revista.

Premissa 5

Esse foi mais rápido que os outros. Eu estava com pressa para terminar a tempo, então desenhei o personagem à mão antes e fotografei, para só então fazer o tracejado e finalizar com um colorido basicão.

O fundo e o copo são fotografias de banco de imagem, e a fumaça é pintura com milkyday Brush.

Antes de terminar esse desenho eu fiz alguns outros sketches no caderno em poses diferentes, mas essa era a mais prática de terminar antes de sexta-feira (data limite!).

Enfim, a aula de hoje...

A aula focou na questão de gênero nos quadrinhos. Vou colocando cada gênero mencionado e os quadrinhos dados de exemplo para buscarmos como referencial. Não estou com tempo para postar a explicação de um por um ahuhuaha!

Drama
 

Retalhos e Habibi- Craig Thompson
Estranhos no paraíso - Terry Moore

 
O Escultor - Scott McCloud
Vida Louca - Jaime Martin

Humor
Ryotiras - Ricardo Tokumoto
Níquel Nausea - Fernando Gonsales

Épica / Fantasia
Conan - Robert Howard
Holy Avenger - Erica Awano

Ficção Científica
 

Ronin - Frank Miller
Ghost in the Shell - Masamune Shirow

Terror
Uzumaki - Junji Ito
Dora - Bianca Pinheiro

Romance
Karekano - Masami Tsuda
Nana - Ai Yazawa

Suspense
100 Balas - Brian Azzarello e Eduard Risso

Sobre os conselhos da vez e o que estou fazendo para segui-los

Enfim, depois das referências eu recebi dois feedbacks para trabalhar em meus quadrinhos. O primeiro deles diz respeito ao meu traço e à falta de personalidade dele. O segundo diz respeito à mutação do desenho como rascunho para a finalização, identificando esse processo, primariamente, como responsável da perda da alma da ilustração.

Uma sugestão que recebi foi de pegar e experimentar estilos variados que distanciem do mangá. Daí eu abri meu amado Pinterest, fui nas pastas de referência de character design e separei umas 50 ilustrações diferentes e em traços e estilos variados que eu gosto e acho que consigo reproduzir.

Vou tentar desenhar o mesmo personagem nesses estilos todos e depois entender o que posso extrair dessas ilustrações e incorporar no meu traço, tentando dar um pouco mais de vida e eliminando a homogeneização das personagens.

A outra coisa que farei é experimentar outras maneiras de finalização e conversão do desenho rascunho para o desenho final, começando agora mesmo com um quadrinho que desenhei.

Claro que vai demorar ainda pra eu ter um resultado definitivo, mas, se isso ajudar, estou disposta a repetir até que esteja realmente satisfeita.

Vamos lá e até semana que vem <3

terça-feira, 21 de junho de 2016

FIQ Jovem 2016 - Aula 2

Nenhum comentário
Semana passada eu falei da primeira aula no curso de formação de quadrinistas do FIQ Jovem, e decidi então manter as postagens a respeito como semanais. Não sei se terei material (tempo também) para postar tudo, mas vamos seguindo que o destino cuida do resto ahuuhauha \o\

Para a aula dessa semana tivemos o dever de pensar em 5 histórias (premissas) para levar para sala de aula. Serão elas a nos guiar pela produção de quadrinhos até o final do ano, portanto era fundamental pegar algo com o qual você realmente quisesse trabalhar.

Acontece que eu me esqueci completamente dessa tarefa e fui me lembrar só na quinta feira, dois dias antes da aula. Eu estava no ônibus, mais ou menos exausta das 1h e 30 de viagem diária, e tinha uma enxaqueca como minha companheira. Daí peguei o caderninho, rabisquei umas coisas e voilà, lá vinham 10 plots para trabalhar. Não pensei em nada muito complexo, fui acessando as beiradas da minha mente e raspando o que tinha de aproveitável entre a dor latejante e o cansaço do dia.

Um dos plots que saiu
Não vou postar os plots aqui, naturalmente, mas deve dar para ir sacando à medida que eu for atualizando com os trabalhos que for fazendo ao longo das oficinas.

O que me lembra um meme que resume minha vida e o motivo deu sempre estar com um lápis e papel na mochila:


Enfim, separei os 5 temas mais fazíveis (levando em consideração minhas limitações no desenho) e levei para apresentar em sala de aula.

Tivemos a turma separada em 3 grupos de 8, e ficamos com um professor cada, para apresentarmos nossas ideias e termos tudo que foi construído quebrado por questionamentos, uhahuauh.

Ao contrário da maioria do pessoal da minha turma (e também indo contra a coisas que geralmente produzo), escolhi cinco quadrinhos e premissas cômicas. Eu estou longe de ser uma pessoa engraçada, mais longe ainda de saber contar uma piada, mas acabou que esses temas foram bem mais confortáveis de serem pensados do que qualquer outro drama ou conceitual (que ficou em esmagadora maioria dentre as histórias que ouvi).

Daí passamos a aula toda assim, discutindo histórias e rearranjando eventuais problemas nelas, para então recebermos nossa próxima tarefa: desenhar um quadrinho de cada história, definir sua premissa e resumir a história que se quer contar em uma frase.

Um dos quadrinhos prontos
Dessa vez eu anotei e já comecei a fazer, para não correr o risco de me lembrar só na quinta feira! haha

Aí, não tem a ver com o curso, mas fico feliz em poder comparar a evolução desse meu traço pra quadrinho em 2 anos \o\ É bastante tempo, e eu poderia ter melhorado muito mais, mas a minha negligência na prática piora tudo.

Com esse curso, e eu me obrigando a desenhar pelo menos uma vez por dia, talvez daqui 2 anos eu tenha algo muito melhor pra mostrar :)

2014


2016
OMG que mudança! Mas ainda tenho um caminho muito longo para seguir se quiser ficar assim um dia:


Tenho em mente que meu maior problema com o desenho não é nem o colorido (apesar de parecer) ou minha falta de noção da estrutura corporal, mas a minha impaciência. Na ânsia de acabar logo um quadrinho eu começo a deixar tudo sem finalizar. Preciso aprender a ter paciência antes de aprender a desenhar um corpo humano em proporção. Orz

E é isso!
Até semana que vem! \o\

domingo, 12 de junho de 2016

FIQ Jovem 2016 - Aula 1 (Introdução e tirinhas)

2 comentários

Ei gente! \o/
Estou sumidaça, com uns 891239 posts sobre a viagem para postar, eu sei!
Mas, como esse blog é uma terra sem lei, vou postar sobre o #FIQJovem que começou nesse final de semana! :)



O curso de formação de quadrinistas, com duração de 8 meses, é um curso super prático e completamente avesso às oficinas que tenho feito nos últimos meses (O curso do CCBB dessa semana que o diga!). Já na primeira aula produzi CINCO quadrinhos! Não quatro ou três. CINCO. Isso é bem mais do que fiz nos dois últimos meses! D:


Nessa primeira aula discutimos a respeito de premissas de histórias e revestimento simbólico (tudo aquilo que é acessório na construção de uma narrativa - cenário, época, condições sociais etc.).

O primeiro exercício partiu da listagem de algumas palavras que fossem realmente importantes para nossas vidas. Alguns alunos selecionados escolheram:

  • Sabedoria
  • Família
  • Bondade
  • Amizade
  • Empatia
  • Força
  • Respeito
  • Dinheiro
  • Música
  • Liberdade

Daí tivemos de escolher duas palavras e usá-las como nossas premissas para um quadrinho que precisava ser feito em 1 hora! <O> Não só isso, tínhamos de fazer algo avesso ao que estamos acostumados a fazer. No meu caso, eu prefiro tirinhas, então sobrou para mim fazer uma página inteira.

Ainda bem que alguém falou "dinheiro" se não eu realmente não saberia o que contar, auhahuah!


Fiz bem rapidão, escolhendo dinheiro e liberdade. Apesar de rabiscar rápido, eu levo um bom tempo para "polir" o desenho, e é nesse ponto que eu geralmente costumo desistir, hehe.

Daí passamos para a segunda parte da aula, quando iríamos analisar obras diversas e extrair suas premissas.

A primeira obra analisada foi Romeu e Julieta. As premissas são aquelas coisas centrais da obra, como o objetivo da narrativa, como o que você pode responder quando alguém pergunta: "Essa história é sobre o quê?". Penso que a premissa seja, antes de tudo, um ponto de partida sobre o qual construímos a narrativa e, no caso de Romeu e Julieta, a premissa era o conflito tolo entre famílias rivais. Não o amor, como costumamos acreditar, já que esse é acessório de reforço da tolice do conflito, e não o início, nem o fim da história.

Daí deram-nos outras 5 histórias para delas retirarmos suas premissas. São elas:

  1. Homem Aranha: Poder x Responsabilidade
  2. Star Wars: A relação dos dois lados da força
  3. Turma da Mônica: Amizade apesar das diferenças
  4. Breaking Bad: Orgulho e ego
  5. X-Men: Preconceito Social

Daí teríamos de fazer outras 5 tirinhas / quadrinhos sobre cada um desses conceitos. Dá para ver o rascunho delas na foto lá de cima, e a única que me agarrou foi "os dois lados da força, bem x mal". Pensei bastante, mas tudo ficava muito na relação de Poder e Responsabilidade ou Orgulho e Ego... talvez o mal esteja aí, no desequilíbrio causado pelo poder, ou na doença agravada pelo orgulho. Quem saberá dizer?

Enfim, só finalizei uma pelo PC, na relação Poder e Responsabilidade:



Agora é pensar em um tema para o Bem x Mal! Sinto que levarei a semana inteira nisso ahuahuhau
Até mais <3