domingo, 3 de julho de 2016

FIQ Jovem 2016 - Aula 4 - (Brainstorm e produção)

2 comentários
Alou! Nessa semana eu consegui terminar mais um livro da série do Mundo Espiritual e logo eu posto uma resenha (junto com do "Nós, Os Afogados", que foi o livro mais incrível do ano!). Também comecei a ler o "Segredos do Reino" do Lucas Hargreaves, e o pacote da MuFish chegou!

Prometo que tentarei atualizar essas coisas todas durante a semana, maaaaas, por enquanto, aqui vão as coisas do curso de formação de quadrinista do FIQ Jovem!

Ainda tentando encontrar o traço certo

Na semana passada eu mencionei  que estava tentando praticar e encontrar um estilo de desenho que fosse bonito e me agradasse. Daí comecei a desenhar em modos que são totalmente desconfortáveis para mim, mas cheguei nesses dois desenhos que gostei bastante (mas que são confortáveis e iguais ao que faço mesmo uhhuaahu!):

 Infelizmente foram os únicos dentro de uma infinidade de sketches que rabisquei no ônibus:




Só aqui que eu tentei desenhar coisa diferente, sry.

Conteúdo da aula

A aula de hoje foi meio / bem / bastante diferente das últimas. Dessa vez deixamos as premissas de lado para montar uma nova em uma dinâmica (irk!) em sala de aula.

Começamos com uma sugestão de tema: A perda de algo inesperado. E daí fomos sugerindo em cima disso.
A perda logo virou "roubo"
Quem deve roubar?
O que deve ser roubado?
Como essa coisa deve ser roubada?

A partir dessas perguntas chegamos a um universo em que um jovem anarquista havia roubado as instituições burocráticas, tornando ele mesmo na própria burocracia. O que significa que ele ficaria sentado atrás de uma mesa o dia inteiro resolvendo coisas pras pessoas, hehe.

E aí tínhamos o formato: 2 páginas.

Como contar uma história dentro desse universo com essa limitação de páginas? Isso levantou a necessidade do foco em um ponto em especial. Precisávamos de começo, meio e fim. Pegamos a fila que provavelmente se formaria para ser atendida, e fomos espremendo e afunilando até chegar no resumo do que seria nosso material real de trabalho.

A história deve ter dois momento: 1. Um personagem desesperado numa fila pq ta chegando a vez dele e ele não sabe o que pedir. 2. Ele chega no final e recebe outra senha. A fila não acabou.

Daí fomos para os rascunhos:
E isso me lembrou que sou uma negação com layouts.

Fiquei frustrada pq só percebi isso depois que tinha terminado, e estava demasiadamente exausta (noite anterior não deu pra dormir porque um inferno com nome de bar fica de música alta até tarde) para refazer. uhahuauh Aí deixei pra lá.

No final rodeamos as mesas para ver os outros desenhos, e fiquei lá babando com uns desenhos que sabiam fazer tudo o que não sei: perspectiva, narrativa fluida com imagens, layouts e expressões. E me deu vontade de chegar  em casa e desenhar bastante até aprender essas coisas.

Daí peguei meu amigo Paint Tool SAI e fui preparar os layouts de uma das histórias.




Preenchi algumas páginas e cansei, exausta (depois da aula ainda fui num Centro ouvir uma reunião sobre Rigidez em nós e os seus efeitos).

De tarefa para a próxima aula ficamos de levar nossas premissas mais bem definidas, com informações precisas dos personagens, estilos, se vamos dividir com alguém o trabalho (e ganhar 4 páginas extras) etc.

Rascunhos de hoje

Enfim, para terminar, acordei querendo desenhar qualquer coisa e voltei no meu sereio. Acho que é o único personagem masculino que tenho que posso fazer caras engraçadas, então vou abusar disso. Hihihi

Nesse estilo, só sei fazer cabeças. O corpo vai ter de ser olhando pra alguma referência, se não sai de palitinho. Orz

Até mais!

2 comentários :