quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

12 Dias de Natal, Epifania, Medievalidade e Previsão para 2015

Nenhum comentário
Acho que aqui no Brasil não são muitas as pessoas que conhecem a expressão "12 dias de Natal" ou "Twelve Days of Christmas". Em inglês, existe uma cantiga infantil que leva exatamente esse nome. Você pode ouvi-la aqui:

 


A canção fala justamente desses 12 dias de Natal, em doze versos que relatam os doze "presentes" recebidos pelo seu verdadeiro amor (True Love, na canção). A primeira versão encontrada dessa canção é do ano de 1780, em um livro conhecido como Mirth without Mischief. Nesse livro um jogo de memorização é proposto em roda, e cada criança deve cantar um verso e repetir o anterior sem errar. A exemplo da canção do "Elefante incomoda muita gente" que é bem mais popular por aqui. Diz-se que a origem dessa canção é Francesa e data de antes do século 16, mas não existem provas físicas (como o livro em inglês) dessa suposição.

Essa música faz menção a uma antiga tradição de se celebrar os 12 dias (a partir do Natal) até a chegada dos Reis Magos, e dizem ter surgido da fusão da tradição católica com os ritos pagãos Romanos, que à época ainda celebravam a Saturnália. Estudiosos da história pagã Nórdica fazem ainda relação com a crença de que a deidade Freya, logo após o solstício de Inverno (21 de Dezembro), levava doze dias (Os 12 dias de Yule) em um grande trenó distribuindo presentes.

Mas, o que isso tudo tem a ver com Medievalidade, previsão para 2015 e epifania?

Os Doze Dias de Natal contam do dia 25 até o dia 6 de janeiro, data em que muitos Cristãos comemoram a chegada dos três reis magos (Lembrando que na Bíblia não há a indicação desse número) , conhecida como Epifania, ou o dia em que Jesus foi identificado, enfim, como Filho de Deus, e data coincidente com muitas das celebrações pagãs que ainda se mantinham vivas na era medieval. (Algumas religiões porém, marcam a Epifania de Cristo como o dia de seu Batismo com João Batista).

Foi com base nessa visão que a pesquisadora Anne Lawrence, do departamento de História da University of Reading, desenvolveu uma pesquisa acerca dos Doze dias do Natal e seu uso para prever o tempo para todo o ano seguinte, uma prática descoberta a partir de estudos de textos e pergaminhos, em latim, dos séculos 11 a 14.

Em entrevista para a plataforma Medievalists, a pesquisadora afirma:

"(...) Na Bretanha medieval, uma rápida olhada para o céu durante o período de Natal era tudo o que eles precisavam. Claro que a precisão dessas previsões eram dúbias, no mínimo. Alguns elementos chave apareciam como ventos fortes, longos períodos de luz solar e tempestades. O significado de cada um desses dependia, sumariamente, do dia em que aconteciam." (Leia original aqui)

Ou seja, eventos específicos dentro desses 12 dias podiam trazer previsões (nem sempre claras) sobre o andamento do ano que começava.

A University of Reading publicou esse calendário com um resumo dessas previsões:

As imagens em maior tamanho podem ser vistas no Twitter da Universidade.

Hoje, por exemplo, seria o oitavo dia e, segundo o calendário, o vento forte pode significar péssimas condições de saúde para os mais idosos, enquanto o Sol forte seria que Mercúrio seria importante para o ano que se aproxima. Trovão seria a indicação de  ventos fortíssimos para o ano todo e dano na lenha e parreiras. Mas a plantação poderia se dar bem, especialmente se essa tempestade acontecesse no final da tarde.

Bem, por aqui faz bastante Sol, então bom prestar atenção em Mercúrio, o Deus Romano mensageiro (associado a Hermes, na Grécia). Deus da Venda e do Comércio, além de ser associado à Comunicação. Ainda bem!
Solão hoje! Que venha sorte para nós, profissionais da Comunicação.

 Talvez você também goste:
Twelve Days of Christmas and Forecasting
Matheus, Capítulo 2. A Bíblia.
Outra teoria: Os ensinamentos ocultos da Canção dos 12 dias (Em inglês)

Nenhum comentário :

Postar um comentário